Estude com a melhor plataforma de medicina para estudantes de medicina
4º ano 5º ano Dermatologia Infectologia Pediatria

Escabiose: como diagnosticar e tratar corretamente?

Escrito por Beatriz Pêgo
4.6
(448)

Olá, gente! Tudo bem?

Acho que todo mundo já ouviu falar de “Escabiose” (que popularmente é conhecido como “Sarna”). E, vamos ser sinceros, é uma doença bem chatinha…

Na plataforma do Jaleko, você encontra uma aula completa de Escabiose no Curso de Parasitologia.

Porém, hoje, vamos ter uma bela conversa sobre Escabiose aqui 😉

Etiologia

A escabiose é causada pelo ácaro Sarcoptes scabiei variante hominis, um parasito humano obrigatório que vive em túneis e produz sulcos na camada córnea. Popularmente conhecida pelo nome de sarna, a escabiose consiste em uma parasitose humana cujo contágio se dá somente entre humanos, pelo contato direto com pessoas acometidas, bem como pelo contato com roupas e com outros objetos contaminados.

Nesse sentido, ao contrário do que muitas pessoas pensam, o contato com a fonte que irá disseminar a doença deve ser prolongado para que ocorra a contaminação. Por isso a grande importância de se pesquisar possíveis acometimentos dos contactantes domiciliares em caso de um paciente diagnosticado com escabiose.

O Sacoptes scabei

O sarcoptes scabei é o ácaro causador da escabiose humana, o qual tem dimensões que variam de 0,2 a 0,4 mm e é dotado de formato ovoide. Além disso, ele possui quatro pares de pernas em forma cônica e, na extremidade dos dois primeiros pares de pernas, são verificadas ventosas que estão fixas à apêndices pedunculados.

A escabiose desenvolve-se em cerca de 15 a 17 dias após a infestação. Os ácaros adultos perfuram galerias ou túneis na epiderme, principalmente nas regiões interdigitais, nas mãos, nos punhos, nos cotovelos, nas axilas e na região da virilha, sendo a oviposição realizada nesses locais pelas fêmeas já copuladas.

Como se institui a doença?

Em relação à fecundação do ácaro, essa ocorre na superfície da pele e, logo após o macho morrer, a fêmea penetra na pele humana, cavando um túnel por um período aproximado de 30 dias, período ao qual se segue a deposição dos ovos. Por sua vez, ao eclodirem, esses ovos liberam as larvas que retornam à superfície da pele para completar seu ciclo evolutivo.

Nesse contexto, a doença causada pelo ácaro decorre da perfuração da epiderme, dos produtos do metabolismo do parasito depositados e da presença dos ovos, o que gera, como consequência, uma reação inflamatória, a qual pode ser acompanhada por eventuais escoriações, pela presença de vesículas, por prurido intenso e, em alguns casos, linfadenomegalia.

É muito importante termos sempre em mente que o Sarcoptes scabei é um ácaro cosmopolita e não se desenvolve em outros mamíferos. Em geral, algumas dezenas deles, quando presentes no homem, podem gerar cerca de um milhão em aproximadamente 2 a 3 meses. Além disso, o tratamento é essencial para que haja a resolução do quadro, já que nunca ocorre eliminação  completa dos parasitos sem tratamento.

Como ocorre a transmissão? Quem são as pessoas mais susceptíveis?

A escabiose é facilmente transmitida de pessoa a pessoa pelo contato físico; no entanto, a transmissão por animal e por fômites provavelmente também acontece. O risco primário de ser acometido por escabiose ocorre, sobretudo, em condições de aglomerações, como por exemplo nas escolas, em abrigos, em acampamentos e nas próprias residências.

Por motivos não conhecidos, a variante crostosa da escabiose, também denominada “sarna norueguesa” é mais comum em pacientes imunossuprimidos, sendo a gravidade bastante é relacionada ao estado imunológico do paciente. Dentre esses indivíduos mais suscetíveis a apresentar a escabiose crostosa, podem ser mencionados os portadores da infecção pelo vírus da imunodeficiência humana (HIV), de malignidades hematológicas, e até mesmo pacientes em vigência de corticoterapia prolongada ou em uso de outros imunossupressores.

Quais são os sinais e sintomas apresentados?

O sintoma primário apresentado pelos indivíduos acometidos por escabiose é, sem dúvidas, o prurido intenso. Essa é também a principal queixa apresentada pelos pacientes que buscam auxílio médico. Embora o momento do dia em que se manifesta não seja específico para diagnosticar a doença, classicamente o prurido da escabiose piora à noite.

A escabiose clássica

A escabiose habitual cursa geralmente com o surgimento de lesões dermatológicas em forma de pápulas eritematosas, as quais, na maior parte dos casos, tornam- se evidentes inicialmente nos espaços entre os dedos das mãos, nas superfícies flexoras do antebraço, nos cotovelos, na região axilar, na região da cintura ou na região inferior dos glúteos.

Em seguida, há a tendência de disseminação dessas pápulas para as outras áreas do corpo, o que pode incluir a região das mamas e do pênis. Apesar de ser bastante comum em crianças, a face não é frequentemente acometida em adultos.

Um achado patognomônico da doença é a presença dos túneis, os quais podem se manifestar sob a forma de finas linhas sinuosas descamativas que variam de milímetros a cerca de 1 cm de comprimento. Além disso, pode ser possível a visualização de uma discreta pápula escura – a qual representa o ácaro – em uma das extremidades.

Sinais atípicos de escabiose

Existem alguns sinais atípicos que também podem estar presentes em casos de escabiose. Nos indivíduos com pele escura, por exemplo, a escabiose pode se manifestar como nódulos granulomatosos. Já na faixa etária infantil, é comum serem observadas lesões em palmas, nas plantas, na face e no couro cabeludo, especialmente nas dobras posteriores das orelhas.

Por sua vez, em idosos, há a tendência de haver intenso prurido com poucos achados cutâneos, o que pode representar um desafio para o diagnóstico. Em pacientes imunossuprimidos, pode haver descamação disseminada não pruriginosa, particularmente nas palmas e nas plantas no caso de indivíduos adultos e no couro cabeludo, quando em crianças.

A escabiose não clássica

Dentre as formas não clássicas de escabiose, podem ser mencionadas, por exemplo, a escabiose crostosa, a escabiose nodular e a escabiose incógnita.

 A escabiose crostosa

Também chamada de “sarna norueguesa” consiste em uma forma grave e mais contagiosa de escabiose, a qual é decorrente da alteração da resposta imune do hospedeiro e com frequência relacionada a quadros de imunossupressão, permitindo a proliferação de até milhões de ácaros. É muito importante entendermos que a escabiose crostosa consiste na forma mais crítica a doença, em que ocorre rápida e intensa proliferação dos ácaros e que, nesse caso, a transmissão fica ainda mais provável, podendo ocorrer em contatos mais breves, incluindo, por exemplo, simples apertos de mão.

Outras formas de escabiose não clássica

Por sua vez, a escabiose nodular é mais comum em neonatos e crianças, podendo ser decorrente da hipersensibilidade dos organismos. Em relação as formas bolhosas, embora sejam menos frequentes, são encontradas algumas vezes em crianças e no adulto pode simular o penfigoide bolhoso, o que pode ocasionar um retardo no diagnóstico. No couro cabeludo, assemelha-se à dermatite seborreica em crianças e em hospedeiros imunossuprimidos.

Como é feito o diagnóstico?

Avaliação clínica

O diagnóstico de escabiose é suspeito pelos achados clínicos, com a visualização das lesões dermatológicas características, especialmente a vigência de túneis, o que pode estar associado a áreas de escoriações, como consequência do ato de coçar a pele devido ao prurido intenso. Além disso, a história epidemiológica de contato domiciliar com queixa também de prurido intenso é extremamente sugestiva de escabiose, devido à alta contagiosidade da doença.

Nesse sentido, na maior parte dos casos, a solicitação de exames complementares não se faz necessária, embora o diagnóstico possa ser confirmado pelo encontro de ácaros, de ovos e de materiais fecais ao exame microscópico do raspado dos túneis (por exemplo, pacientes idosos, ou já tratados com corticoides, podem ser difíceis de ser diagnosticados, podendo ser preciso nesses casos proceder com a realização de raspados dos túneis).

Os raspados dos túneis

Frequentemente desnecessários na prática, já que os achados clínicos de escabiose são geralmente suficientes para que se estabeleça o diagnóstico e se institua o tratamento, esses raspados são obtidos colocando-se glicerol, óleo mineral ou óleo de imersão sobre o túnel ou pápula, a fim de que se previna a dispersão de ácaros e de materiais durante a raspagem e removendo o teto com a borda de uma lâmina de bisturi. Em seguida, o material é então colocado em uma lâmina microscópica e recoberto por uma lamínula.

Quais são as opções e recomendações de tratamento?

O tratamento para escabiose indicado é feito com escabicidas de uso tópico ou oral, sendo a permetrina a droga de escolha.

Para crianças maiores e adultos

Para crianças já com mais idade e adultos, pode-se aplicar permetrina ou lindano em todo o corpo, do pescoço para baixo, removendo-os com água após o período recomendado (em geral, entre 8 a 14 horas) e idealmente repetir o tratamento em 7 dias.

Em neonatos e crianças menores

Já em neonatos e crianças mais novas, a permetrina é aplicada na cabeça e no pescoço, evitando-se as regiões periorbital e perioral. Atenção especial é recomendada em áreas intertriginosas, unhas das mãos, artelhos e umbigo. É importante ter em mente que não se recomenda lindano em crianças com menos de 2 anos e em pacientes com distúrbios epilépticos, devido ao potencial efeito neurotóxico.

A ivermectina é indicada para pacientes que não respondem ao tratamento tópico, não obedecem as orientações locais (ou quando não se tem segurança de que o paciente vai cumprir com as recomendações e voltar a procurar auxílio médico caso não haja melhora) ou são imunossuprimidos, com escabiose crostosa. Tem sido usada, com sucesso, em epidemias em que há contato íntimo, como em casas de repouso.

É extremamente importante que os contactantes também sejam tratados e os objetos pessoais- dentre os quais estão incluídos toalhas, roupas de cama, vestimentas- sejam lavados ou isolados por pelo menos 3 dias. Também podem ser prescritos medicamentos para o alívio do prurido, sobretudo em pacientes com queixa de prurido intenso e que recorrem à coçadura das lesões, podendo causar, inclusive, áreas de escoriação intensa.

O desaparecimento dos sinais e sintomas

Na maioria dos casos, o indivíduo acometido deixa de ser contagioso dentro de 24 horas e os seus principais sintomas devem melhorar notavelmente dentro de dois dias. No entanto, em geral, os sinais e sintomas característicos da escabiose  podem demorar cerca de 3 semanas para desaparecer completamente.

E se o tratamento for ineficaz? Em que situações isso ocorre?

Geralmente o tratamento da escabiose, quando feito de maneira adequada e associado às medidas ambientais de controle é bastante eficaz e gera excelentes resultados. Por outro lado, o tratamento ineficaz pode ocorrer em razão de resistência, de pouca penetração, de terapia aplicada de maneira incompleta ou mesmo de reinfecção (o que ocorre frequentemente quando não se faz o controle ambiental e de contactantes de forma adequada). Além disso, pode haver problemas na resolução do quadro em caso de escabiose nodular de difícil reconhecimento.

Como pode ser feita a prevenção?

A prevenção consiste, basicamente, em evitar contato com pessoas, com roupas e toalhas contaminadas. A partir do momento em que se diagnostica escabiose em um indivíduo, as pessoas que moram no mesmo domicílio devem ter suas roupas pessoais lavadas, bem como as roupas de cama e as toalhas em água quente. Após a lavagem, deve- se prosseguir com a secagem desses itens em um secador quente ou, alternativamente, pode- se proceder com a utilização do ferro de passar roupas, com o objetivo de matar todos os ácaros e ovos eventualmente presentes nesses utensílios.

E se a roupa não puder ser lavada?

Nesse caso, tais roupas que não suportam a lavagem convencional devem ser seladas e armazenadas por aproximadamente uma semana, porque os ácaros em questão morrem em cerca de um a quatro dias, caso não estejam em contato com a pele humana. Além disso, é extremamente importante reforçar que, uma vez detectado um paciente com escabiose, todos os que com ele tenham contato direto, sobretudo os contactantes domiciliares, devem ser idealmente tratados. Afinal, apenas com o tratamento de todos pode- se interrompida a cadeia de transmissão da parasitose.

Qual o seu sentimento em relação a esse artigo?

Clique na estrela correspondente e avalie de acordo com o impacto!

Avaliação Média: 4.6 / 5. Quantidade de Votos: 448

Este artigo ainda não recebeu nenhum voto. Seja o primeiro a avaliar!

Sobre o autor

Beatriz Pêgo

49 comentários

  • acho que faltou figuras mostrando indivíduos com a doença, já o diagnóstico é muitas vezes visual. No mais muito boa a explicação sobre escabiose, parabéns.

  • Muiti bom o blog! INSTRUTIVO! Não sou médica e só estou no empirismo! Muitos sofrem com isso, eu que o diga! Ou peguei no carnaval ou qd fui fazer caridade, num ambiente sem higiene, infestado. Minha irmã – médica- confirmou a infestação, pelo formato da lesão e reações do corpo ao ácaro. Bem…cocei pra morrer em 4 dias…agora tá melhor. Nesse tempo aprendi: 1. Que coçar espalha o ácaro ou seus ovos; 2. Trocar todo dia o pano de cama, roupas, inclusive íntimas, ferver água e deixar 20 min. lá “cozinhando” o bicho deve impedir o reciclo; 3. Usar só 2 peças de roupa, pra não lascar muito todas a demais com a fervura diária; 4. banho com sal grosso ameniza a coceira e parece que desidratando a pele, surte um efeito; 5. Ivermectina tomei 2, 2, 3 (por recomendação médica) comprimidos nos 3 primeiros dias e permitrina no couro; com 4 dias não dá + pra pôr permitrina, dá reação na pele, alérgica- em mim deu!; 6. Descobri que a pomada cetoconazol + dipropianato de betametasona + sulfato de neomicina é a GLÓRIA, EM 24H TA LIMPANDO A PELE DO VERMELHIDÃO e “matando” o que há no local das coceiras! Dizem que não serve, mas lendo a bula não é muito difícil associar PARASITA a ÁCARO! ELE É UM PARASITA!!! Pra mim, ignorante da ciência médica, está servindo! Bem… Persistirei em tudo isso aí de cima por um mês e nos ensinamentos do blog! E terei + cuidado com aglomerações!!!! Deus me livre ter essa peste de ESCABIOSE de novo!!!!

    • Tbm peguei acho do meu cachorro que estava se coçando muito chamei o veterinário ,que aplicou uma injeção e passou corticorten mais não falou o que era fui dá banho no cachorro daí por diante me cotaminei e cotaminei meu marido nossa como e ruim não desejo isso pro meu maior inimigo 😢 estou usando tbm a pomada minacora me ajudando bastante tudo que leio uso e nada já tem mês que estou assim já fui 2vezes ao médico e usado a medicação que eles passam até promessa fiz pra melhora 😞 mais acho que já tive pior tomo banho tbm com sarnasan só Jesus pra ajudar quem pegar essa doença

  • Roupas que ficaram no guarda roupas , que já estão há mais de vinte dias lá , pois não abri o guarda roupas nesse período , corro risco de quando for usar , me recontaminar?

    • Obrigado pela mensagem. Bem, normalmente o ácaro não sobrevive tanto tempo. Se realmente ninguém abriu o armário não vai haver ácaros para te contaminar.

    • Não. Se houver ácaros presente nas roupas, certamente já estará morto, pois, só sobrevivem no máximo 48h sem estar em contato com a pele humana.

  • Gostei do artigo . Peguei essa doença e não tenho a menor ideia de como ocorreu o contágio.
    Não tive contato com ninguém infectado ,não uso roupas de ninguém .Principalmente quase não saio à rua .
    Fui 2 vezes a praia em Rio das Ostras e só sento na cadeira . Para mim constitui um mistério !!
    Meu trabalho me levou a escolas ( professora ) em comunidades ,presídios ,hospitais e nunca peguei nem piolhos .Minha casa é no oitavo andar ,sou enjoada com limpeza e não deixo de desinfetar objetos que vem de lojas etc.
    Difícil explicar !!!

      • Olá, tudo bem? Na verdade a sarna humana acomete só seres humanos, a sarna canina é causada por outro micro-organismo. O que eventualmente pode acontecer é você ter se contaminado com sarna canina, normalmente essa é mais leve em pessoas e melhora sozinha. Os cachorros não podem transmitir sarna humana. Um abraço, Dr Felipe Magalhães – diretor médico

        • Olá, adotamos um filhote de cachorro, este veio com bolinhas próximo ao rabinho, bolinhas parecidas com espinhas, minha filha mais nova estorou uma e saiu um líquido, colocou o cachorro no sofá e depois disso qualquer uma que se sentasse ali saia se coçando! Todos em casa pegamos sarna. O clínico disse que cachorro nao passa sarna para humanos, mas pesquisei e vi que passa sim!
          A sarna vermelha. A sarna mais comum em cachorros é a sarna negra e essa não se transmite para o homem, já a sarna vermelha sim! Todos passaram uma locão e melhorou, mas passei bem pouco a coceira saiu, mas depois de alguns meses minha filha deixou a cachorra dormir na cama e a coceira voltou, não faz feridas nem bolinhas apenas coça muito! Estou com medo de passar a loção pois tenho tramento dentário para fazer e depois quimioterapia, será que a medicação da lição interfere nos outros tratamentos?

          • Olá! Obrigado pela mensagem! O Jaleko é uma plataforma para ensino de Medicina para alunos da faculdade, mas vamos conversar um pouco. 🙂
            Existem vários tipos de sarna caninas: a escabiose é a sarna “Sarna Sarcóptica”(causada pelo Sarcoptes scabiei). A “Sarna Negra” e “Sarna Vermelha” correspondem a uma outra doença, cujo o nome é “Sarna Demodécica”. Essa, por sua vez, não é escabiose e não afeta humanos.
            A escabiose canina é um ácaro diferente da escabiose humana. O que acontece é que o ácaro da escabiose canina não consegue viver na pele humana, mas ele pode infectar e causar sintomas por pouco tempo, basta tratar o cachorro que os sintomas das pessoas melhoram sozinhos.
            Sem um veterinário avaliar o cachorro ou um médico avaliar vocês, é difícil fazer o diagnóstico, mas se o cachorro tiver sarna, basta tratar ele que a família inteira para de se coçar. =)

    • É óbvio que tem como tu pegar, ela acontece muito rápido. Ex: sentei no vaso que uma pessoa que está com a doença sentou, dentro de 72h tu pode pegar, pois o ácaro sobrevive fora do corpo nesse tempo. Ou entao, ex: fui em uma praça coloquei a mão em um banco que alguém ate 3 dias colocou, peguei. ENTÃO NÃO VEM DIZER QUE NÃO TEM COMO TU TER PEGADO, tu só não pega se tu não viver, não sair de casa, não escostar em nada, enfim.

    • Obrigado, Dr. Sammy! Ficamos muito felizes que você gostou, continue nos acompanhando.

  • Já tomei 2 comprimidos de ivermectina 6mg, depois de 7 dias tomei mais 2. Passei loção-5% no corpo todo: Piolixina-permetrina 50mg/mL e essa m… não passa. Tô achando que é outra coisa. Pelo amor de Deus, me digam algo, não aguento mais a coceira. Em tempos de pandemia nem ao médico pode-se ir .

    • Olá, Paulo! Eu recomendo você ir ao médico para descobrir o que tem. Você pode ver umas alternativas de telemedicina caso não possa ir presencialmente ao médico.

      • Às vezes, acontece. Por isso, é importante a avaliação médica. =D
        Um grande abraço!

    • Eu estou a bastante tempo e pra aliviar a coceira que ataca a noite eu passo vinagre no corpo deixo uns minutos e tomo banho é a única coisa que tem aliviado.

      • Olá! Se for, de fato, escabiose, esse tratamento não vai resolver em definitivo. Recomendo que procure um médico para ser avaliada. Um grande abraço!

    • Nossa tô com mesmo sintomas já tomei todos esses remédios TMB e não passou a coçeira principalmente nos braços a noite só Jesus amado ??

  • em volta do meu peito ta em pele viva de tanto que cocei, fui no hospital duas vezes e as duas vezes me passaram antialérgicos.
    nada adianta to morrendo com essa porra nao aguento mais, to perdendo muita noite de sono

    • Olá! É preciso que um médico analise o seu caso e, se for mesmo escabiose, prescrever o tratamento adequado. Um abraço!

  • Oi o que eu faço estou morrendo de tanta coceira minha família inteira meus filhos não aguento mais essa coceira por favor tem algum remédio que possa matar que me ajude a sair dessa justo nessa pandemia com sarna ninguém merece já usei oxe na Tim já os deles todos que tipo de sabonete já usei todos os tipos de loção já usei o comprimido o que eu faço por favor me ajude diga alguma coisa que possa me ajudar estou passando roupa estou lavando com água quente alternando forro de cama só fazendo tudo que os médicos mandaram mas a coceira não passa

    • Olá! Recomendo, urgentemente, que procure um médico de sua confiança para avaliar o caso, além de rever o diagnóstico e o tratamento. Um grande abraço!

  • meu Deus ja tomei 7 invermectina ja passei 5tubos de sanasar pemitrina 5%ja usei pré de pomada é não sara a tô pra e enlouquecer ja tem 4 meses.

    • É necessário, então, que procure ajuda médica para reavaliar o diagnóstico. Um grande abraço!

    • Olá, é preciso, então, procurar um médico para avaliar a causa. É possível que seja escabiose, porém, existem vários outras causas. Um abraço!

  • Eu e minha filha estamos com medo problema. Já usamos Decadron, hidroxizina, ivermectina, loção para pele seca e nada resolveu. A noite a coceira é persistente.

    • Olá! É necessário rever se o diagnóstico está correto. Recomendo procurar um(a) médico(a) para avaliar vocês.

  • Estou com isso tem uma semana, não faço idéia de como peguei isso, não durmo de tanta coceira, nas costas, pernas e braços são piores. Estou tomando antialérgico, passando loção, pomada e parece que cada dia aumenta os caroços e a coceira.
    O que faço????

    • Olá! Para saber o que fazer, é necessário ser avaliado por um(a) médico(a), que vai rever o diagnóstico e prescrever o tratamento adequado.

  • Boa noite eu fiz o tratamento e tinha passado porem o medico pediu pra fazer mais uma vez com um creme manipulado de vaselina e enxofre e hj amanheceu coçando algumas areas novamente pode ser inrritação ta pele pelo remedio ?

    • Sim, pode ser irritação pelo remédio. Você deve voltar ao médico para que ele avalie. Um abraço!

  • Bom dia,vi vários comentários sobre esse parasita realmente é horrível.Estou passando pelo mesmo problema mas procurei uma dermatologista estou fazendo o tratamento e com ótimos resultados,não tenho mais coceiras.15 dias de tratamento tomando ivermectina usando a loção sanasar, lavando e passando toda roupa até o colchão limpo e deixo sem lençol e deixo pegar sol a tarde que coloco lençol passado,trocar roupa de cama e toalhas todo dia. Pelos muitos casos ocorridos acho que deveriam fazer uma vacina contra isso, nem todos tem condições de tantos gastos. Remédios,energia elétrica para usar máquina de lavar todo dia e ferro elétrico para passar, já imaginou quando acontece em uma casa com muitas pessoas? Só Deus. Obrigada pelas informações gostei.

    • Obrigado pelo seu relato! Realmente, a escabiose é uma doença muito incômoda. O tratamento, de fato, dá bastante trabalho e, se não for bem seguido, a doença pode voltar.

  • Eu peguei escabiose não sei de onde, tomei 3 comprimidos de invermectina, tomei banho com sabonete específico, e nada melhorou, fui ao médico e Ele me explicou que esse problema é mais comum do que se pensa, eu não entendo, troco minhas roupas de cama 2 vezes por semana toalha de banho a cada 3 dias. Lavo. E depois deixo de molho no vinagre, passei ate ferro no colchão.. o médico receitou a loção peregrina, passei, mas ainda sinto. Coceira e formigamento na pele.. Só sei que com essa praga não tenho maia qualidade de vida, não consigo dormir direito e a coceira é infernal … obrigada pelas informações,o post foi bem esclarecedor.. Marilene

    • Nós é que agradecemos pelo seu comentário, Marilene! É super gratificante ajudar as pessoas! (:

    • Leticia, é muito gratificante para nós saber que o nosso artigo te agradou! A gente que agradece pela sua presença por aqui (;

Deixar comentário.

Share This